Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Nada contra

Acho que estou já em um estado de velhice muito avançado, vejo algumas coisas que os adolescentes e pós-adolescentes fazem e fico cada vez mais surpreendido, para não dizer consternado pelo resultado final da investida.
Hoje vou descrever e comentar, o que pra mim chega a ser um desrespeito com os país desse cidadão.
Cabelo emo, essa coisa difícil de se explicar tipo tigelinha com franja e repicado atras.. Eu queria saber o que eles passam no cabelo pra ficar duro e brilhante deve ser um gel com purpurina ou gliter, pra quem preferir.
Olhos pintados de forma meio gótico-vampiro (ahhh vampiro do Crepúsculo, só para ficar esclarecido)
Mochila preta cheia de chaveiros, botons, banner, faixas, cartazes e neons. Entre os botons pode se observar alguns no estilo "Família Restart", "Fresno é lindo", "Colorido é legal" entre outros que me doe as vistas de tentar ler...
Songlist do ser é uma tortura de ser lida imagino essa bagaça tocando no meu ouvido já tenho coceiras e uma imensa vontade de corta as orelhas fora. Cine, nx 0, Restart, Fresno, strike, entre tantas outras que nao me lembro e agradeço por isso...
O cidadão, que eu acho ser do sexo masculino, tava com uma calça tão apertada que eu acho que pra vestir ela, ele pendurou a calça no varal e pulou do telhado pra calça entrar. Um tênis com tantas cores que nunca vi metade delas e deve usar umas 3 pilhas palito por semana sem contar que na verdade devem caber uns 3 ou 4 pés dentro do tênis de tão grande...
E pra fechar com chave de ouro: UMA CAMISETA DO RAUL SEIXAS!!!
Isso mesmo que você leu uma camiseta do Raul Seixas, coitado do nosso eterno Rauzito deve ter se revirado na cova com homenagens como essa.
Fico imaginando minha mãe com um filho nesse naipe, se quando eu era adolescente ela já reclamava de eu andar de roupa preta e coturno...
Não tenho nada contra os emos.... Mas seria legal ter uma metralhadora....

quinta-feira, 12 de abril de 2012

A viagem - parte 1


Há quanto tempo não post mais nenhuma história, na verdade foi mais de mês sem contos da vida, irei explicar para vocês o que aconteceu, nesse tempo que fiquei fora, gostaria muito de ter contado a vocês o que estava acontecendo, mas quando eu estava não havia conexão com internet... É isso mesmo QUANDO eu estava...

Estava eu, em uma manhã comum e feliz de sexta-feira, me encaminhando para o trabalho, peguei meu iPod e pus o cd do Bob Dylan pra tocar.
Cheguei ao ponto de ônibus, e estranhei ele estar vazio, pensei "Porra o ônibus acabou de passar!"  poucos minutos depois, chegou o ônibus, por mais incrível que pareça tinha lugar para sentar, aproveitei essa rara ocasião pra puxar um cochilo, foi ai que tudo começou...

Minutos depois, acordo com um click estranho dentro do meu bolso, olho para fora do ônibus e o tempo que estava fechado agora está como um desejado domingo de manhã, céu azul e sol brilhando, enfio a mão no bolso, para descobrir o que foi que clicou... Senti meu iPod  muito maior que de costume, mas quando tiro ele do bolso, vejo que não era meu iPod e sim um Walkman, já sem entender nada, abro o compartimento de fita e retiro a fita que lá estava e escrito em sua etiqueta: "The Best of Bob Dylan... Propriedade de Fábio  SP Jun/93".

Caralho!!!! Fazem uns 10 anos que não vejo esse K7 - pensei imediatamente após ler, ainda meio desnorteado, levanto e me dirijo para a porta de trás do ônibus para descer, mas antes que eu dar o sinal pra descer vi  as pessoas subindo no ônibus pela porta de trás, imediatamente  olhei para porta da frente e vejo todos descendo por ali. não sei ao certo o que pensei naqueles segundos de confusão mental, o instinto me fez descer, pela porta da frente, já na calcada tento entender o que está acontecendo até que olhei para o ônibus e não era o que eu tinha pego, era outra pintura, outro modelo outra cor, tipo antigo, me lembrava os que eu pegava para ir a escola....

Acendo um cigarro para tentar organizar as idéias, vi que na esquina havia uma banca de jornal. "Pronto, agora tudo se encaixa", pensei enquanto caminhava a passos largos em direção a banca, mas ao parar enfrente aos jornais pendurados na lateral e ler as manchetes, fui sentindo o mundo girar, meu suor gelado escorrendo da minha testa até o queixo.... estava eu em dezembro de 1993, li e reli as datas dos jornais dependurados e todos eles e todos eles tinham a data de Quarta-feira 22 de dezembro de 1993...

Sem saber o que fazer, voltei para o ponto de ônibus sentei no banco e resolvi ver o que tinha na minha mochila e bolsos, meu celular touch virou um tijolo  (daquele que pensam umas 800 toneladas), meu HD externo virou um jogo de disquetes, meu notebook de 2 Kg virou um trambolho de aproximadamente 11 toneladas, meu bilhete único se transformou em dois passes, a única coisa que não mudou, aparentemente foi o meu dinheiro, não sei as notas de Real seriam validas ??

Perguntei a senhora ao meu lado quanto custava o ônibus."2500 Cruzeiros Reais" disse a senhora,  me levantei , agradeci e fui andando até a banca de jornal não sabia ao certo onde estava e muito menos sabia o que fazer...

Perguntei ao jornaleiro onde era o shopping mais próximo, assim seria fácil me localizar.
"Olha moço, eu sou novo aqui em sumpaulo e num vô sabe te fala não..."
Porra, pensei e perguntei o nome da avenida, já que num vi nenhuma placa..
"ah, aqui é a avenida Cruzeiro do Sul", perguntei da estação do metrô, ele apontou para baixo, olhei  agradeci e sai andando, acendi um cigarro e parei, olhei em volta, dei umas tragadas ali parado até que reconheci onde eu estava, estação terminal Santana do metrô. Passei bastante por ali quando criança, pegava o ônibus para casa da minha tia ali. Voltei a andar e pensar, e fiquei tentando entender, o que aconteceu, como fui parar em 1993?

"Como fui para na Cruzeiro do Sul (zona norte) sendo que trabalho na vila Olímpia (zona Sul)??? Sem um cruzeiro real no bolso... Pra onde eu vou? Tem que ser perto, afinal estou a pé... Porra, como é que eu vou pra algum lugar em 1993? Ninguém me conhece, ou até me conhece mas com 12 anos, não com 30.. Caralho.. Preciso de dinheiro... como? Ou arrumo um bico ou vou ter que vender minhas coisas,  não tenho nem idéia de como eu saio daqui... Merda, por que comigo?? Porra justo na sexta feira?! " pensava ou falava comigo mesmo, um total desespero.. Estava perto do carandiru quando vi uma placa, precisa-se de ajudante em uma lanchonete.

Entrei no bar, e contei uma história do tipo, cheguei em São Paulo e cai em um golpe, me levaram todo meu dinheiro e não conheço ninguém aqui, blablabla nada muito convincente, mas colou, consegui que ele me desse o emprego e deixasse eu dormir no "escritório" até eu me arranjar.

Trabalhei em 93 até a tarde da véspera de Natal.. E viajei novamente... Pra quando e onde fica pro próximo post...


Ps: O Real só entrou em vigor em julho de 94
Ps²: Maldito Bob Dilan!!! Se não entendeu leia... Tudo acontece quando ouço Bob Dilan

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Maior tempo de parada

Primeiro, quero pedir desculpas por ficar sem postar nada, e isso era para ter sido postado pela manhã mais num deu... Agora divirta-se

Nada como uma bela e ensolarada manhã de quarta-feira.
Só pra não sair da rotina acordo com um sono absurdo, nem parece que dormi, mas tá valendo. No meu caminho ainda foi possível avistar um casal de passarinhos namorando no transformador do poste, outros a voarem e a cantar, vi até borboletas, uma coisa fora do comum para nessa cidade de pedras.
Ao passar a catraca do trem já vem a primeira "boa" noticia do dia:
- Senhores passageiros, devido a falha técnica entre as estações Ceasa e Presidente Altino, os trens estão circulando em velocidade reduzida e maior tempo de parada.
Pra quem não está acostumado com o trem, pelo menos o de São Paulo, pensa "Ah, só vai estar um pouco mais devagar e vai ficar mais tempo parado na estação" até porque a voz feminina anassalada falou isso com outras palavras... Mas quem tá acostumado com trem já nem ouve o que a voz diz, agente ouve algo assim: "Ae seus trouxas por causa de um filho da puta endividado que tentou se matar jogando-se nos trilhos, vocês vão se fuder pra chegar no trabalho, sem contar o aperto e o calor que irão passar... Ps: o cidadão suicida está na estação Ceasa, a porrada tá liberada"
Trens cheios até o teto e um calor desgraçado até chegar ao trabalho.... Pô o cara além de tentar se matar, e não conseguir ele acabou com meu dia, quando quiser morrer se joga no rio Tietê ou na frente de um caminhão porra!!!

Se curtiu comenta :p

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Carnaval

Não gosto de carnaval, samba, desfile, fantasia, essas paradas todos me enervam, a única vantagem do carnaval são os dias que fico sem fazer nada, sem fazer nada mesmo pois se você for viajar se fodeu porque vai ficar no transito por horas a fio, vai ficar procurando lugar na areia durante metade do dia e a outra parte do dia será discutindo com seu vizinho de guarda-sol que está jogando areia na sua canga ou roubando sua cerveja. Por esses motivos ou fujo pro interior ou fico por aqui mesmo. Há uns dez carnavais aconteceu essa pérola, alguns nomes foram alterados para manter a confidencialidade das pessoas.
Enfim carnaval !!! - Gritamos em coro, apesar de todos nós sermos roqueiros de carteirinha, e não termos nenhum samba no pé adorávamos o carnaval, onde era possível se afogar na manguaça e provavelmente se atracar com alguma menina desavisada de nossas intenções.
O plano de "ataque" já estava pronto em nossas mentes, partimos em direção à praça Silvio Romero na Zona Leste, por que tão longe? Não sei lhe dizer... Sei que lá tinha umas batidas muito boas, partimos em direção a ZL, eu, Miguel e Lucas (os nomes foram alterados pra preservar a vida dos cidadãos)...
Ao descermos na estação Tatuapé, iniciamos uma discussão sobre o que iramos beber, afinal  a intenção era chapar o globo, até que achamos um mini-mercado, tinha de quase tudo, vodka, whisky, conhaque, tequila, pinga... O whisky foi o escolhido, pois era o melhor custo benefício,  pegamos uma garrafa de Fanta e partimos para a Praça. Chegando lá já descolamos uma mesa e uns copos e começamos a beber... quando ainda tinha mais de 3/4 da garrafa, decidimos ligar pra umas meninas que tinhamos conhecido a umas semanas antes, que falaram que em meia hora estariam lá...
Ficamos bebendo e esperando essas malditas... que chegaram quando faltava pouco menos de dois copos de whisky e muito mais de meia hora passada... todos nos já chapados, a recepção para elas foi no estilo:

- Meia hora?!?! Vai se fuder...hic...  nem precisa mais sentar com agente... hic... porra meu tô muito chapado... hahahhaa

Não sei te dizer por qual  motivo elas ficaram putas e foram embora sem mesmo tomar um gole sequer da nossa mistura Fanta Laranja com Whisky Drurys...

Tratamos de zerar a mistura doentia e partimos de volta para a Zona Sul (home sweet home)... mas o nosso estado era de alucinação total...
Ainda na estação, na plataforma do metrô, conhecemos uns caras que tinham uma banda, junto com eles tinha uma garota, qual eu virei para ela e perguntei:

- Pô, se eles são uma banda, você é o que?? Groupie???

Vi nos olhos dela o ódio crescer e a vontade de me matar assumindo formatos verdadeiros até que ela respondeu:

- Não!!! Sou irmã de num-sei-quem-lá (te juro que não recordo de quem ela era irmã)...

Pegamos o mesmo metrô e continuamos conversando e de vez em quando alguém (eu) inventava de fazer montinho, voadora do metrô (ficar segurando nos ferros superiores e dar com os pés nas costas de alguém), corridinha sem as mãos (pode ocasionar, sem os dentes também) essas brincadeira que quando se está bêbado não dói, mas no dia seguinte dói até o cabelo.

Baldiação na Sé... zueira, gritos e beijos para todas as mulheres que passavam, afinal todas eram bonitas, benefício do álcool...

Linha Azul... a banda continua com a gente, eles estavam indo tocar na 13 de Maio, não me lembro ao certo se era no café aurora, ou piu-piu ou alcatraz... Nos chamaram para ir assistir eles, mais nossa grana não era muita e a coragem também não..

A banda desceu e voltamos a ficar planejando o resto da noite... até que alguém (não fui eu, isso eu sei) deu a idéia de ir para a casa da Luz Vermelha, ou casa das Primas, ou casa de Massagem ou do jeito que você queira chamar. Não gostei muito da idéia, porra agente tá no carnaval, pra que pagar por uma coisa que seria fácil de se conseguir di gratis... mas o Lucas tava meio que apaixonado por uma Prima, então ele nos convenceu.

Chegamos no puteiro (agora todo mundo sabe o que é!!!rs), o baguio tava cheio, até hoje não sei ao certo se furamos fila ou se a "paixão" do Lucas nos passou na frente... sei que meu estado não me permitia subir com uma prima e também estava com pouco dinheiro, esse que devia durar o carnaval todo. Fiquei sentando no sofá esperando os caras fazerem o serviço e irmos pra casa.

Esperei, esperei, esperei e dormi...

Acordo assustado com o Miguel gritando com a puta, mas tava até parecendo uma briga de casal:

- Vai sua Puta... eu nem queria te comer mesmo,  você é uma vagabunda, sua puta do caralho, vai se fuder.

E o segurança do prostíbulo já subindo as escadas para "retirar" o bêbado da casa, tentei amenizar a situação. Não ajudou muito, estava eu sendo empurrado escada abaixo pelo segurança e o Miguel tomando uma senhora gravata dele, até que aparece o Lucas no alto da escada com uma puta cara de sono, de cuecas... olhou durante uns 30 segundos até que a ficha caisse, entrou devolta no quarto se vestiu e desceu. Resumindo, fomos expulsos do puteiro. O Miguel pagou e não comeu ninguem e o Lucas simplesmente dormiu enquanto a puta tomava banho...




terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Dias atrás

Depois que você completa 30 anos tudo muda. A cada olhada no espelho o constante medo de achar um fio de cabelo branco, uma ruga ou um pé de galinha. Você se vê no reflexo e faz algumas caretas para ver se tudo vai continuar no mesmo lugar. Os homens tira a roupa e olha para baixo, se ainda consegue enxergar a piroca tá jóia, pois nessa fase a barriga de cerveja começa a tomar forma (de barril) e em alguns casos a visualização do bráulio é impossível ou pela vantajosa barriga ou pela desvantagem peniana.
O mais legal é o saudosismo, pois a cada encontro com amigos de escola, cursos, faculdade... Entramos em um grande túnel do tempo, muitas vezes movido a cerveja, e voltamos muitos anos no passado, dessas vezes me lembro de uma em especial, não é exemplo para ninguém mas gosto de lembrar disso..
Fiz o ensino médio na escola pública Nelson Pimentel, essa escola ficava uns 3 ou 4 kms da minha casa.
Quando estava na quarta serie estudava de manhã, voltava para casa a pé com um amigo, apesar de minha mãe me dar o dinheiro da condução, esse dinheiro me servia de mesada, já que não tinha uma. Então sempre tinha um fliperama, um cachorro quente, sorvete, essas besteiras, até que uma vez que experimentamos uma cerveja em uma festa que teve na casa dele.
No próximo dia de aula, na volta resolvemos comprar uma cerveja no Jumbo (é Jumbo, sou velho assim..rs, para quem não sabe Jumbo é o Pão de Açúcar de hoje) compramos duas lonq-necks quentes, pois não havia uma geladeira, como hoje me dia, e pegamos nosso caminho, neste caminho o colégio católico Divina Pastora que apesar de estar no nosso caminho, quase nunca iamos por esse caminho.
Justamente neste dia havia uma turminha com algumas meninas sentadas e dois meninos em pé, os meninos virando uma garrafa de 2 litros de Coca, cada um e as meninas ao gritos batendo palmas, até que passamos em frente ao grupo, com uma lonq neck na mão, demos um longo gole na cerveja. O mais legal foi a reação das meninas, pois estavam de frente pra gente, automaticamente ao ver dois pirralhos tomando uma long neck elas param de bater palmas e ficaram como estátuas olhando cada passo que andávamos enquanto os garotos se engasgavam com a Coca e nós pensando que erámos foda.
Depois desse dia, esse virou nosso caminho, com ou sem cerveja, mas sempre na esperança de reencontrar com nossas fãs....

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Tudo acontece quando ouço Bob Dilan

Incrível como as coisas são, toda vez que ouço qualquer música do Bob Dilan coisas fora do comum acontecem.
Certa vez lembro de ter tocado "Blowin in the wind" no radio do carro. Estavamos em uma avenida de três faixas de cada lado, o carro bem postado na faixa do meio, quando, pouco antes do refrão, um Citroen C4 passa em alta velocidades pela direita, segundos depois podia ouvir Dilan cantar "Yes and how many times must a man turn his head, Pretend that he just don't see?, The answer, my friend, is blowin' in the wind" enquanto via o C4 desviar violentamente de algumas motos paradas no acostamento, dar uma "desequilibrada" em um voyage antigo que com a força da pancada girou umas 4 vezes, o C4 devido a velocidade que estava, subiu no guard haiill e foi girando no ar até encontrar, na pista sentido contrario, uma Kombi cheia de bugigangas da 25 da março, com a porrada vi voar pela pista bolas, bonecas, carrinhos, camisetas, entre outros produtos 102% made in Paraguai. Não parei para curiar, mas chamei o resgate.
Outro dia estava indo ao mercado à pé, por mera coincidência coloquei Dilan no iPod para tocar, até que lembrei da "maldição", no exato momento que vejo um cachorro, batendo um barro no meio da rua, na rua mesmo que essa de calçada que nada, a graça é cagar na rua, pra ver quanto tempo demora pra ser atropelada a obra-de-arte. Com esse intuito o cachorro se sentou na calçada e ficou monitorando a merda que ele fez.
Um taxi, nem passou perto. Um gol bolinha, passou com a roda bem perto mas não chegou a encostar até que vem uma moto, há uma velocidade relativamente alta e com pneus traseiro passa por cima do cagalhão deixado pelo cachorro. O pior ainda está por vir, quando 50 metros afrente o motoqueiro é obrigado a brecar bruscamente a moto dançam sob sua pernas e escorrega devido a merda gruda no pneu, até não conseguir mais controlar e ir comicamente ao chão, felizmente o cachorro não se machucou.

Agora só ouço Bob Dilan em ambiente fechado...

"Achou muita viagem? Comente "

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Falta de Predador Natural

Domingo a noite, parece existir uma regra para domingo a noite, não passar nada de interessante na TV, mesmo cansado de saber insisto em assistir TV aos domingos.
Enquanto eu tentava bater meu recorde de passar por todos os canais sem parar em nenhum (não de propósito, afinal num passa nada mesmo) até que parei no Fantástico (Globo) pois a paisagem me atraiu, afinal estava falando de Fernando de Noronha.
A reportagem falava sobre a falta de predador natural para as garças que já dominavam o espaço aéreo de Noronha (que é uma ilha, pra quem num sabe) e ameaça os aviões que vão pousar lá. Mostrou o trabalho de "remoção" das garças com ajuda de 3 gaviões.
Fiquei pensando nisso um tempo até que a ficha caiu... Vamos fazer o mesmo aqui em Sampa com as pombas...
Afinal pombos são ratos com asas, bicos e que sabem voar. Essa porra transmite tanta doença que não sei quem foi que falou que "a pomba é o símbolo da paz..." E é!!! Basta você manter contato com as pombas que ficar em breve em paz, para toda a eternidade...
Pomba é uma praga que nem seus irmãos sem asas os ratos, basta ter uma migalha no chão e junta 475 mil para disputar aquela migalha, se você alimenta uma vez para todo o sempre essas epidemia de asas vão sempre esperar sua mão amiga alimentar e ajudar a proliferar o piolho, a toxiplasmose e tantas outras doenças.
Aqui em São Paulo precisamos de uns gaviões também afinal deve ter umas 5 pombas por habitante aqui, já ouviu cada história envolvendo pombas que são inacreditáveis, são atropelamentos, vôos suicidas em direção à vidraças, chutes, pisões, agressões, vôos suicidas em direções de aviões, helicópteros, carros em movimento, trens, ônibus ou outro qualquer meio de transporte.
Se não fizermos nada as pombas vão dominar São Paulo, já nas próximas eleições para prefeito, vão se candidatar, afinal o Kassab já fez muita cagada e cagada por cagada, por que não uma cagada vuadora?!?!? Já vejo o slogan:
Cansou de ver tantos merdas comandando? Não se surpreenda, Vote em quem você sabe que vai cagar em tudo, vote sujo vote pomba.